"A liberdade é um luxo a que nem todos se podem permitir." (Otto Bismark)

"O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons." (M. Luther King)

"Não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente." (Jiddu Krishnamurti)

"Ninguém está obrigado a cooperar em sua própria perda ou em sua própria escravatura, a Desobediência Civil é um direito imprescindível de todo o cidadão!" (Mahatma Ghandi)

"Alguns homens vêem as coisas como são e dizem "Porquê?". Eu sonho com as coisas que nunca foram e digo "Porque não?" (George Bernard Shaw)

“Não há covardia mais torpe que a covardia da inteligência, a burrice voluntária, a recusa de juntar os pontos e enxergar o sentido geral dos factos.” [Olavo de Carvalho]

Nota:

Este blog não obedece nem obedecerá a qualquer acordo ortográfico que seja um atentado à identidade do País

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Entrevista: 125 minutos com Adriano Moreira

Assim se intitulou mais uma interessante tertúlia de Fátima Campos Ferreira, no belo salão do Casino da Figueira da Foz, no passado 10 de Junho.
A"Revista de Marinha" teve o privilégio de estar presente neste que foi o 6º encontro promovido pela Administração do Casino da Figueira, que desde Janeiro, vem celebrando precisamente, 125 anos de existência, através de um ciclo de tertúlias com personalidades da cultura portuguesa.
Numa sala repleta de um público atento e interessado, entrevistado pela brilhante jornalista que há sete anos conduz, ininterruptamente, o conhecido programa televisivo "Prós e Contras", o Prof. Doutor Adriano Moreira falou com a sua proverbial eloquência e notável saber, respondendo a perguntas, tanto de Fátima Campos Ferreira, como da assistência. Foram muitos os temas abordados, desde a forte abstenção nas recentes eleições, passando pela falta de um conceito de estratégia nacional, até à proposta de duas grandes "janelas de liberdade" para Portugal - África e o Mar - assim como outros assuntos de relevo político nacional e internacional. Ao longo da noite, a mais recente obra do Professor Adriano Moreira, "A espuma do tempo - memórias do tempo de vésperas", da conceituada editora Almedina, serviu de pano de fundo para muitas e variadas recordações pessoais e familiares, bem como relatos do passado histórico de Portugal, em que o Prof. Adriano Moreira foi activo mentor, protagonista e testemunha incontornável.
Entre os convidados de honra ali presentes - a Senhora de Adriano Moreira, Dra Mónica de Lima Mayer Moreira, Dra Ana Maria Caetano, filha do Prof. Marcello Caetano, Almirante Nuno Vieira Matias, ex- CEMA, e os Vice-Almirantes Pires Neves, Cajarabille, Rebelo Duarte e Alexandre da Fonseca, teve ensejo o Almirante Vieira Matias, de formular uma pergunta de grande pertinência e actualidade, relativa ao Tratado de Lisboa, que entre outras áreas atribui a gestão dos nossos recursos marítimos a Bruxelas. Interpelando o Professor, pediu a sua opinião sobre o perigo de cobiça por parte de outras potências, quando se concretizar a previsível extensão da plataforma continental portuguesa, que passará de cerca de 1,7 para 3,6 milhões de quilómetros quadrados, segundo o pedido recentemente entregue por Portugal na ONU.
Com uma oportuna metáfora, respondeu o Professor Adriano Moreira que " a Terra é a nossa casa comum e nela não pode haver apartamentos descuidados", pelo que outros tomarão conta da nossa parcela, se o não soubADRIANO-MOREIRA-2-SITEermos fazer nós próprios ... Com efeito, a determinada altura, perguntava o Professor "Em que se traduz o interesse estratégico do mar?" e respondia, "em primeiro lugar, na necessidade de responder a ameaças internacionais, porque, queiramos ou não, temos de responder pela segurança atlântica, pela segurança do Atlântico sul e pela segurança mediterrânica, ou alguém o há de fazer por nós (...); em segundo lugar, na necessidade de aproveitarmos os recursos marítimos num tempo em que temos um terrível défice de reservas alimentares, que tanto pesa na nossa balança comercial(...) e há saber e há doutrina, pelo que o problema é a definição de objectivos estratégicos, que não pode nem deve ter a ver com o partido que ganha as eleições (...). " Dizia ainda o Professor, metaforicamente, que " se não formos nós ter com o Mar, ele virá de certeza ter connosco"!
Num tempo frequentemente marcado por grande verborreia política sem sentido, nem valor, esta foi, sem sombra de dúvida, uma tertúlia de grande qualidade, habilmente conduzida, em clima ameno e familiar, e foi uma excelente oportunidade para ouvirmos um brilhante estadista e grande pensador português, numa casa acolhedora com anfitriões de grande simpatia.
Parabéns por mais esta iniciativa, ao Casino da Figueira, na pessoa do seu Administrador, Dr Domingos Silva, e parabéns à Figueira da Foz, esta sempre belíssima cidade "à beira-mar plantada".

FF


in http://www.revistademarinha.com/index.php?option=com_content&view=article&id=1288:adriano-moreira&catid=101:actualidade-nacional&Itemid=290


Já tem cerca 1 ano esta peça, mas vale ainda a 100% hoje!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Neste Nosso Portugal©2009
 
hit counters